Santo-Domingo-127kb-resize

Mensagens de Santo Domingo de Guzmán a Clemente Domínguez y Gómez, hoje o Papa São Gregório XVII, Magníssimo

Día 4 de enero de 1970
Sagrado Lugar do Lentisco de El Palmar de Troya. Aparições e Mensagens a Clemente Domínguez:
Santo Domingo de Guzmán

Santo Domingo de Guzmán

«Os quero a todos, meus filhos, que rezais o Santo Rosario pela qual mundo se salvará: O SANTO ROSARIO DE PAI-NOSSOS. Essas é a vontade da Sempre Virgem Maria. Meus filhos, pouco têm para sofrer. O Grande Milagre está próximo, mas antes deveis orar. Os bendigo».

Santo Domingo de Guzmán

«Não permitais que em vossas Iglesias tirem o rezo do Santo Rosario. Rezais sempre, rezais sempre, rezais sempre, já que é vossa salvação. Terás que rezar o Santo Rosario segundo a mesma Virgem ditou neste Sagrado Lugar, e sei que custará muitos sacrifícios, mas desta forma se aplacará a Santa Ira do Altíssimo. Reza-lo sempre que vens». (Se refere ao Santo Rosario Penitencial. E segue dizendo Santo Domingo:)

«Orai, orai, orai incansavelmente. Não se importe em deixar tudo, se é a vontade de Deus o sacrifício, porque Ele os ajudará a vencer no caminho que Ele te impõe». (E logo, referindo-se a Clemente Domínguez, disse:)

«Sofrerás terrivelmente, não te compreenderam. Peçam a Deus que faça sua Santa Vontade, Deus os escuta, tenha paciência. Ele sabe o que necessitais cada um, e faça como o Divino Filho: Agarrasse à Cruz. Os bendigo.

Ainda estou contigo. Não tenhas medo de Satã: Com Maria e todas as legiões que adoram a Deus, aplastaremos sua cabeça».

(Logo, Clemente Domínguez deve uma visão aterrorizante do inferno: Multidão de pessoas com caras espantosas e Satã no meio das chamas. Imediatamente depois, Santo Domingo de Guzmán se rodeou de Anjos. Clemente Domínguez voltou do êxtase, e todos podemos contemplar, com admiração e gozo, como se havia aberto um novo postigo no recinto por poucos momentos, em lugar diferente do cerrado e sem sentir o menor ruido. Passamos todos pelo lugar, com certo temor, e já no meio do caminho, o vidente viu a São José que, perto do novo postigo, com seu Cajado nos indicava para subirmos ao Lentisco).

(Santo Domingo segue dizendo:) «Espanha, Espanha, Espanha, segueis orando. Jerusalém, Jerusalém, Jerusalém, logo verás o Sagrado Templo».

Dia 12 de dezembro de 1969

(Sagrado Lugar do Lentisco de El Palmar de Troya. Se apareceu o Santo Domingo de Guzmán a Clemente Domínguez e lhe deu as seguintes Mensagens:)

1. Santo Domingo de Guzmán

«Agora contempla a minha direita o Divino Rosto de Nosso Senhor Jesus Cristo». (Aparição da Santa Face.) «Olhe, meu filho, a Face daquele que deu tudo, até seu alento, por seus pecados e pelos pecados do mundo.

            Por meio Dela, os que a adorem meditando na Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo unidos às Dores da Bem-Aventurada Sempre Virgem Maria, receberam as graças de morrer na Santidade. Serão preservados do castigo que o Eterno Pai tem preparado para derramar muito em breve. Deus abrasará à humanidade de tal forma, que ficaram muito poucos para contemplar seu Divino Rosto».

2. Santo Domingo de Guzmán

«Que se estenda e que se proclame o rezo do SANTO ROSARIO DE PAI-NOSSOS que a Virgem há ditado neste Sagrado Lugar». (Se refere ao Santo Rosario Penitencial que conta de 5 Mistérios; em cada Mistério se reza, 10 Pai-nossos completos, ou seja 1 Pai-nosso, Ave-Maria, Gloria e Ave Maria Puríssima, em cada conta.)

«Que se estenda a todo o mundo A ADORAÇÃO DA SANTA FACE DO SENHOR.

Façam o Via-Sacra comtemplado o Divino Rosto de Cristo Jesus, comemorando a Paixão, Morte, Ressureição, unido às Dores da Bem-Aventurada Sempre Imaculada Virgem Maria, pedindo perdão por todos os pecado, todas as ofensas, insultos, sacrilégios, proferidos ao Divino Rosto.

QUE COMUNGUEM TODOS OS PRIMEIRAS QUINTAS-FEIRAS DE CADA MÊS. DURANTE TODOS OS ANOS ATÉ A PROXIMA VINDA DO SENHOR, fazendo vinte minutos de reparação, dando graças a Deus, pedindo a conversão da Rússia.

Todos os que adorem a Santa Face e façam está Comunhão Reparadora RECEBERAM A GRAÇA DE MORRER NA SANTIDADE.

A SALVAÇÃO DO MUNDO ESTÁ EM FAZER O QUE SE HÁ DITADO NESTA MENSAGEM».

(Logo se apareceu o Senhor a Clemente e deu a seguinte mensagem:)

Nosso Senhor Jesus Cristo

«Meu filho, tens que proclamar estas Mensagens a todo o mundo, aos crentes e aos não crentes. Se eles não aceitam a Verdade, distante estão. Quem tem ouvidos que ouça, quem tenha entendimento que entenda».

(Logo se apareceu Santo Domingo de Guzmán a Clemente. Descenderam dos Anjos desde onde estava o Fundador dos Predicadores, os quais portavam um hábito e capa da Ordem Dominicana.)

Santo Domingo de Guzmán

(Disse a Clemente:)

«Em breve, muito em breve, antes que pensas, vestirás meu Santo Hábito».

(O vidente, seguindo em êxtases, colocou o hábito da Ordem Dominicana. Depois, tirou a capa, e deu-a ao Anjo da direita, e este mesmo entregou-lhe a alba, a casula e demais ornamentos. O vidente vestiu e pronunciou algumas partes da Missa que o Santo ia dizendo. O vidente disse a Santo Domingo que não era digno e nunca seria, de celebrar a Santa Missa, mas que aceitaria a vontade de Deus. E segue dizendo Santo Domingo:)

« Meu filho: É muito extenso o que vem agora. Procura atender esta Mensagem. Isso vou te dizer tem que entregá-lo: Uma cópia para o Cardeal (de Sevilha); outro para o Primato (da Espanha), e outro com urgência para o meu amado Irmão Nectario Maria, para entregá-lo ao Santo Padre.

Represente bem eu lhe digo: Que o Santo Padre ordene toda a Igreja que adore a Santa Face de Jesus Cristo, pedindo a conversão de todo o mundo. Que se faça da seguinte maneira: Obrigatoriamente todos os dias, sem perder um, fazer a Via-Sacra, contemplando a sua Dolorosíssima Paixão.

            Atende, meu filho, todas as Primeiras Quintas-feiras de cada mês durante toda a vida até a Segunda Vinda de Cristo Jesus, comunguem fazendo reparações para todos os pecados, sacrilégios, heresias, insultos ao Divino Rosto de Jesus, agradecendo a Deus por vinte minutos, e pedindo a conversão da Rússia, como condição para a salvação do mundo.

            Coloque em todas as Igrejas do Orbe Católico a Face Sagrada do Senhor; através Dela aqueles que adorem meditando na Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo unidos às Dolores da Bem-aventurada Sempre Virgem Maria, receberam as graças de morrer na Santidade. Serão preservados do castigo que o Eterno Pai tem preparado para derramar o muito em breve. Você não tem tempo. Está muito perto, perto, muito perto, a grande tribulação, se não se atende está Mensagem. Deus abrasará à humanidade de tal forma, que ficará muito poucos para contemplar seu Divino Rosto. Diga-lhe ao Papa que aceite o martírio, para o qual muitas almas serão salvas; que Ele tem preparado um lugar preeminente à sua direita, onde desfrutará por toda a eternidade. O martírio está perto. Diga-lhe para que vá preparando sua entrega ao Altíssimo.

Que o Papa obrigue em todas as Igrejas o Santo Rosto de Jesus; não há tempo a perder; que aceite os mandatos que Deus lhe manda por meio das Aparições em todo do mundo. Diga-lhe ao Papa que se realiza logo a proclamação soleníssima ao mundo das Aparições de El Palmar de Troya. Não leve em conta aqueles que o contradizem sobre El Palmar. Se não o fizer, o mundo faltará do caminho para sua salvação.

Meu filho, tens que proclamar esta Mensagem para as pessoas que eu te indiquei. Procura que seja levado por pessoas dignas de crédito, de modo que evite extravio. A salvação do mundo está em fazer o que foi ditado nesta Mensagem. O Senhor vai pedir conta destas consignas. Você tem que dar uma cópia diretamente ao Cardeal (o de Sevilha), mesmo que te custe sacrifícios; não é hora de recuar.

Espanha, uni todos à cruzada da Andaluzia! Terá a salvação. Reze pelo Rosário de Pai-nossos, faça a Via-Sacra diante da Adorável Face do Senhor, comungai todas as Primeiras Quintas-feiras de todos os meses por todos os anos.

São Fernando já tem a ordem para defender a Espanha». (Aparição de São Fernando sem desaparecer Santo Domingo, à esquerda deste.) «Agora o Santo Rei vai falar com você.»

Biografia de São Domingo de Gusmã

6 de agosto

Presbítero. Religioso. Fundador. Patriarca. Doutor. Grande Místico. Fundador do Santo Rosário.

            Nasceu em Caleruega-Burgos, Espanha, em 24 de junho de 1170. Seus pais eram São Félix de Guzmán e Santa Juana de Aza. Durante a gestação, sua mãe sonhou que carregava em seu ventre um cachorro portador de uma tocha acesa e que, ao nascer, queimava o mundo. Recém-nascido, uma estrela apareceu em sua frente.

Após o primeiro ensino e educação cristã em sua casa, ele foi estudar em Palencia. Mais tarde, ele se dedicou ao estudo da Teologia. Em 1195, depois de terminar seus estudos, o Bispo de Osma o ordenou sacerdote e o chamou para se tornar cânone regular de sua igreja.

Santo Domingo amava, desde a juventude, a caridade e austeridade como suas virtudes prediletas. Ele leu que os anacoretas não bebiam vinho e começou a imitá-los, embora mais tarde tenha bebido um pouco a conselho de seu Bispo. Em uma carestia geral, ele se privou do que mais amava, seus livros e pergaminhos, vendendo-os para ajudar os pobres. Em uma outra ocasião, ele ofereceu para trocar-se com um cativo que havia caído no poder dos mouros, porque aquele cativo azarado sustentava a família. Por sua caridade para com o próximo, seu zelo pelas almas e sua vida de austero ascetismo, Santo Domingo causou a admiração de todos que o tratavam. Em 1203, empreendeu uma viagem com o bispo Diego de Osma à Dinamarca para cumprir uma delicada missão diplomática confiada pelo rei de Castela São Alfonso VIII. Depois inicia seu regresso a Castela, retornando pela França e, ao chegar à cidade francesa de Toulouse, observou que muitos dos habitantes haviam caído na heresia albigense, o qual encheu seu misericordioso peito com grande compaixão, ao ver as inúmeras almas que viviam miseravelmente enganadas. Durante sua estada em terras castelhanas, Santo Domingo, para rezar em solidão, costumava frequentar uma caverna nos arredores da cidade de Segóvia. Em 7 de outubro de 1204, quando se retirou para a caverna, profundamente preocupado com a heresia albigense que infecta o sul da França, ele pediu à Virgem Maria que o esclarecesse sobre a maneira mais eficaz de conseguir a conversão de hereges. Santo Domingo foi arrebatado em altíssimo êxtase e viu Nossa Senhora com o Menino Jesus nos braços e com a mão direita Ela lhe mostrava o Santo Rosário, e indicava a maneira para rezar. A Virgem Maria disse a Santo Domingo: «Aqui tens a arma poderosa contra as heresias. Una à sua pregação e austeridade de vida a oração do Santo Rosário, que Eu prometo que seu apostolado será muito eficaz». Santo Domingo lutava constantemente para ensinar e propagar o Santo Rosário em todos os lugares, sofrendo muito com os contínuos ataques dos inimigos dessa singular devoção.

Em 1205, Santo Domingo acompanhou o bispo em sua viagem a Roma. Em maio de 1206, em seu retorno de Roma, Diego, bispo de Osma e Santo Domingo de Guzmán, chegou a Montpellier, a quem o papa São Inocêncio III incutira grande zelo apostólico na conversão dos albigenses. Em Montpellier estavam o legado pontifico com outros dois enviados do Papa, além de outros prelados e abades, deliberando como reprimir a heresia. Diego de Osma e Santo Domingo, como simples missionários, percorreram várias cidades francesas, disputando com os Albigenses e refutando seus erros com argumentos claros. Em outubro de 1207, o Bispo Diego de Osma retornou à sua diocese da Espanha, morrendo no mesmo ano.

 Enquanto o caudilho Simón de Montfort, no comando de suas tropas, realizava no sul da França a Santa Cruzada contra os Albigenses solicitada pelo Papa São Inocêncio III, Santo Domingo de Guzmán apoiado pelo Bispo Fulco de Toulouse e pelo caudilho do exército dos cruzados, realizou incansável obra predicadora, para a conversão dos albigenses, através da região do Languedoc, principalmente nas cidades de Montpellier, Béziers, Carcassonne, Toulouse e outros, frequentemente sofrendo insultos e afrontas da parte dos hereges. Foi vigário geral de Carcassonne e rejeitou duas vezes a dignidade episcopal que lhe ofereceram. Em 1213, após a captura de Toulouse, o principal baluarte da seita, Santo Domingo fez desta cidade o centro de seu apostolado. Pensou que era chegada a hora de fundar uma Ordem de predicadores, e em uma casa grande e senhorial de um de seus seguidores, começou a base de sua Ordem, que foi aprovada pelo Bispo Fulco.

Convocado em 1215 pelo Santo e Dogmático Quarto Concílio Lateranense, Santo Domingo acompanhou o Bispo de Toulouse a Roma. Durante sua estada em Roma, ele teve a seguinte visão: Jesus Cristo sentado no trono de um juiz, segurava três lanças na atitude de jogá-las pelo mundo. Maria Santíssima intercedeu e apresentou, diante de seu Filho Divino, dois homens como meio para a conversão do mundo. Um dos dois foi Santo Domingo, que se reconheceu. Mas o segundo era desconhecido para ele, até a manhã seguinte se encontrou com São Francisco de Assis. Os dois santos se abraçaram como irmãos. Antes da inauguração do Concílio, o santo fundador conversou com o Papa São Inocente III Magno, solicitando a aprovação da obra que trazia em suas mãos. O Papa aconselhou a Santo Domingo que escolhesse uma Regra dentre as já aprovadas e depois voltar a receber a confirmação de tudo, com o qual aprovava verbalmente a obra. Em 1216, já em Toulouse, o santo reuniu seus companheiros e eles escolheram a regra de Santo Agostinho, também participando dos costumes dos Cânones Regulares ou Premonstratenses, fundada por São Norberto, e acrescentando algumas observâncias mais austeras. Assim, a primeira comunidade da Ordem foi formada em Toulouse, com a missão de ser pregadores diocesanos.

Subindo ao trono pontifício o Papa Santo Honório III Magno, Santo Domingo voltou a Roma, e o Sumo Pontífice tomou a nova Ordem sob sua proteção, e em 22 de dezembro de 1216 ele a aprovou canonicamente, com um mandato pontifício para entregar-se à predicação, colocando o nome de Ordem dos Pregadores. Santo Domingo iniciou seu ministério oficial, pregando no palácio papal durante a Quaresma de 1217, explicando as cartas de São Paulo, para satisfação plena do Papa. Naquela época, quando ele orava, São Domingos viu os Santos Apóstolos Pedro e Paulo, que lhe apresentaram um cajado e um livro, dizendo: “Vá e pregue, que esta é sua missão”.

Dada a situação belicosa no sul da França pelo conflito entre o Conde de Toulouse, Raimundo VII e o Caudilho Cruzado Simón de Montfort, quando Santo Domingo voltou à França, determinou que seus filhos religiosos se espalhariam por outros lugares. Alguns permaneceram em Toulouse, outros foram para Paris e outros para a Espanha, e ele foi para Roma, onde recebeu o convento e a igreja de San Sixto. Aqui se agregaram vinte discípulos.

Em 1218, o santo partiu para a Espanha, passando por Bolonha, onde pouco antes havia enviado quatro frades, e por Toulouse, visitando a casa do convento desta cidade. Na Espanha, ele fundou conventos em Madri e Guadalajara. Ele continuou a fundar conventos em toda a França e, enquanto em Paris em 1219, se encontrou com São Jordan da Saxônia, que entraria nos dominicanos um ano depois e se tornaria, com a morte de Santo Domingo, seu sucessor como Superior Geral da Ordem. No mesmo ano, o Papa Santo Honório III concedeu-lhe o convento e a igreja de Santa Sabina, em Roma, onde passaram os frades do convento de São Sixto, ficando este para as Monjas da Segunda Ordem Dominicana. Santo Domingo de Guzmán, o campeão contra os Albigenses, morreu em Bolonha em 6 de agosto de 1221. Ao cobrir, removeram a corrente de ferro que apertava a seu corpo e com a que ele também se disciplinava. Seu corpo repousa em Bolonha.

Canonizado pelo Papa São Gregório IX Magno, em 3 de julho de 1234. Declarado Doutor da Igreja pelo Papa São Gregório XVII Magníssimo, em 21 de setembro de 1989.